segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Humilhação “Fuvestiana”:

Marcando o retorno de Lady Aradya... E o blogger que não me ajuda...

Quem se submeteu as prova da Fuvest ontem, dia 22/11, saberá do que estou falando.

É fato que não estou estudando como uma clássica vestibulanda, mas nunca deixei de estudar por conta própria. Nem minha bagagem cultural é desprezível. Mas ontem ficou comprovado que nós perdemos muito tempo na escola, de nada valeu conhecimento adquirido em anos de estudo, nem mesmo em cursinhos...

Estes alunos de cursinho e também meus amigos foram os que mais se lamentaram na saída da prova...

Os textos eram curtos, de fácil interpretação, embora as alternativas devam ter sido trocadas, pois muitas não condiziam com o enunciado, um exemplo era a questão dos jesuítas: ao que eu saiba (ou acreditava saber) sobre: eles foram responsáveis pela catequização dos índios, aumento da população mestiça e o mais importante, a fundação das Missões, creio eu que a única obra digna de nota...

Outro exemplo, a questão da “história do mundo em 365 dias”, o que isso tem a ver com o conhecimento dos alunos, que durante o ano passaram a se preocupar com A Queda do Muro de Berlim, o Crash da Bolsa de Nova York e o que a atual crise tem em relação a anterior, os Anos de Chumbo, as “Diretas Já”, neoliberalismo...

Sem contar, que a prova de exatas foi uma afronta, até mesmo para pessoas que entendem do assunto!

Eu me senti extremamente ofendida e medíocre, ao fazer aquela prova, ou os organizadores da mesma surtaram de vez, ou fiz jus à fama da cor dourada do cabelo...

Outro ponto que eu gostaria de abordar: as datas. Muitos vestibulandos tiveram que optar entre uma instituição e outra, pela coincidência das mesmas.

Cito aqui a UFU (Universidade Federal de Uberlândia), que marcou as provas de Habilidades Especificas, para a mesma data em que será realizada a 2ª fase do vestibular da Unesp. Como alguém, morando no interior de São Paulo se inscreve em Design em Uberlândia poderia se deslocar até lá e voltar em tempo de fazer uma prova no estado de São Paulo no mesmo dia?Nem com teletransporte...

Em minha leiga opinião, creio que deveria haver uma união e um consenso, para que as faculdades possam organizar-se de forma a não prejudicar os candidatos, quantos não tiveram que abrir mão de algumas provas devido a esse fato desagradável?

Acredito que esteja na hora de rever os conceitos de avaliação para o ensino superior. O ENEM que ajudaria muitos alunos a ter uma chance nesse mundinho seleto dos que puderam pagar por um ensino melhor que o do governo, foi surrupiada (sabe-se lá se não foi proposital...) e até agora quem sofreu as consequências foram os alunos!

Senhores reitores, fundações para o Vestibular, empresas organizadoras das provas, é hora de melhor organizar-se!

Senhores alunos! Vamos seguir o exemplo daqueles mesmos estudantes, os caras pintadas, que lutaram pela liberdade, pelo voto e pelo direito de se expressar!!

Vamos usar esse direito!

Palavras de Lady Aradya, mais uma vez indignada com o que ocorre no mundo e na República das Bananas...

6 comentários:

Jack Fey disse...

Lady Aradya brava......

ahuahua

brincadeira Lady

Anônimo disse...

Olha, eu estudei a minha vida inteira em escola pública e por conta própria e força de vontade, passei na USP. Descobri, ao me dedicar de corpo e alma ao meu sonho, que a Fuvest não tem segredo. As questões e consequentemente a prova não são injustas. Muito pelo contrário, ela selecionará aquele que tiver bem preparado para enfrentar a vida acadêmica uspiana - que te garanto, não é fácil. Então, ao invés de você reclamar da prova e culpar a Fuvest pela sua falta de dedicação durante o ano todo (pq desculpe, fazer a nota de corte do curso de Moda é muito fácil pra quem estuda), pq vc não se entrega aos estudos pra tentar se dar melhor da próxima vez? Vc pode se revoltar com o que eu escrevi aqui, mas é a verdade. E qndo vc estiver na USP, fazendo qualquer curso, vc perceber que o q eu escrevi aqui está correto. ;-)

Manu disse...

Olha, eu conheço a Lady o suficiente para dizer que o argumento de anônimo não condiz a ela.
Tenho certeza absoluta que ela se dedicou bastante aos estudos.
Entendo que muitas vezes estudamos coisas muito específicas e os vestibulares vem com coisas do dia-a-dia.
Prestei 2 vestibulares da UFU e as questões de humanas sempre foram absolutamente fora do cobrado nos cursinhos. Basta um tempo lendo jornais e assistindo tv que vc saberia qq prova de geografia e história.
Fora as provas de espanhol q muitos professores da língua se perdiam...
As de exatas nem comento.
Não sei da Fuvest, mas acho que a Lady tem todo direito de seu protesto.
E tem mei apoio!
Um grande abraço!

Adão disse...

Tbm conheço a Lady Aradya e confesso que to do lado dela. Parabéns champs por ter passado na USP! Eu vivi a vida nao estudei e passei em dois cursos em uma faculdade federal tbm sabia. Não é questão de estar preparado não amigão. Minha vida era sexo e rock'n roll e passei em uma faculdade federal! duas vezes e agora to indo passar pela terceira ;D
A questão é estar bem preparado? Não. A questão é saber o conteúdo e estar bem com si mesmo e fazer uma prova que atenda ao que foi proposto.
Comer livro não. Isso as traças já fazem por mim. Lady tem meu apoio!

Lady Aradya de Rowan disse...

Merci mes amis, ao nosso caro desconhecido apenas posso dizer: Que sorte!
Mas analise...tenta se preparar pra uma Fuvest tendo que trabalhar, morando no sitio, sem internet e sozinha...
Todo tempinho livre, estava lá eu com uma revista de atualidades( que é facil de carregar), vendo noticiário, nunca tive problemas com histótia, literatura ou interpretação, mas isso só me mostrou que meu conhecimento não vale nada, que eu precisaria saber exatamente tudo e lembrar me de exatamente tudo... Até abdiquei meu violino e pintura por um tempo pra estudar...Eu merecia uma chance pra vaga...

Anônimo disse...

Ela tem todo o direito de protestar, claro (até pq o blog é dela). E eu tenho todo o direito de discordar (aliás, muito elegante da sua parte deixar meu comentário no seu blog. Qualquer um poderia ter apagado). Mas eu não sei como funciona o esquema de outros vestbulares de outras Universidades federais. O fato é, na Fuvest passa quem estuda. Livro de atualidades nenhum vai fazer você ir bem numa prova de História ou Geografia (até pq a Fuvest atrela tudo o que acontece no Mundo Contemporâneo - que serve de pano de fundo para as qustões em si - aos onhecimentos do Ensino Médio). E não adianta se matar de estudar uma ou outra matéria. Infelizmente a Fuvest é concorrida e pra entrar é indubitável ter conhecimento em todas as matérias.
E Adão, não sei os vestibulares que vc prestou, mas pela questão da altíssima concorrência, para a Fuvest estar bem preparado é saber o conteúdo proposto por ela. E me desculpe, mas a Fuvest cobra aquilo que proposto no manual.